Alepe avaliará remanejamento de emendas para contribuir com campanha de vacinação

Em sessão remota extraordinária, instalada nesta terça-feira (12), o presidente da Comissão de Finanças da Casa, Aluísio Lessa (PSB), sugeriu o remanejamento de pelo menos 10% das emendas parlamentares para aquisição de insumos necessários à campanha de vacinação contra a Covid-19.


De acordo com Lessa, esse percentual de remanejamento das emendas individuais representaria o repasse de mais de R$ 111 milhões para a compra dos insumos, como seringas por exemplo. A proposta deve ser avaliada pela Mesa Diretora da Casa.


“Seria um esforço de cada deputado em também ser parceiros nessa campanha, uma campanha da sociedade pernambucana, que deseja essa vacina. A gente não tem notícia de Brasília de quando, quanto e como essa campanha de vacinação será iniciada. Temos que atacar com o que dispomos na mão”.


Sob o comando do presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros (PP), a sessão desta terça deu início ao período de autoconvocação dos parlamentares para votar a prorrogação, por 180 dias, do decreto do estado de calamidade pública em Pernambuco e nos municípios.


“Vamos analisar, votar e aprovar os decretos de calamidade e, dessa forma, dar mais celeridade aos trabalhos dos gestores do Executivo, tanto do Estado, o governador Paulo Câmara, quanto das prefeituras, na aquisição de material, contratação de pessoal, tudo que se fizer necessário para avançarmos no combate ao coronavírus”, disse o presidente da Alepe.


Os pedidos de prorrogação do estado de calamidade pública serão analisados, nesta quarta-feira (13), pelas Comissões de Justiça, de Finanças e de Administração Pública. Na quinta, as matérias serão votadas, às 10 horas, no plenário.