FRED FERREIRA COBRA AMPLIAÇÃO DO PERCENTUAL DE PESSOAS EM IGREJAS E TEMPLOS

Na Reunião Ordinária Remota da Câmara desta segunda-feira (14), o vereador Fred Ferreira, do PSC, questionou novamente o poder público estadual e municipal sobre a inclusão igrejas e templos religiosos nas próximas etapas do plano de convivência com a COVID-19. De acordo com o vereador, muitos espaços públicos já foram abertos e as pessoas frequentam como se a pandemia já tivesse acabado. "Ontem passei na orla de Boa Viagem e o que vi foi a praia lotada, pessoas sem máscara, como se nada estivesse acontecendo. Fiscalização? Não vi", afirmou. "E quando olhei para o outro lado, no parque Dona Lindu, o cenário era o mesmo, lotado e as pessoas sem máscara". 


Ferreira destacou que nas próximas etapas do plano de convivência estão previstas a reabertura de cinemas e teatros, como também a ampliação do percentual de ocupação de bares e restaurantes de 50% para 70%. "Eu acho ótimo! Afinal, esses empresários precisam trabalhar para manter os seus negócios. Mas, fica a pergunta: por que num bar ou restaurante é permitida a permanência de 50% da capacidade e nas igrejas esse percentual é de apenas 30%? E pior, não está nem previsto aumento nas próximas etapas", questionou . 


O vereador disse, ainda, estar de acordo com a orientação de que crianças - por serem assintomáticas -, idosos, diabéticos, hipertensos e demais grupos de risco devem permanecer em casa e continuar assistindo aos cultos on-line. De acordo com Fred Ferreira, não há razão para que pessoas fora dos grupos específicos não poderem ir às suas igrejas para ter seus momentos de fé presencialmente, nas igrejas. " As pessoas ganharam direito de ter o seu lazer, mas não ganharam a liberdade para ir às suas igrejas", pontuou. "Nem me refiro apenas às igrejas evangélicas. Mas falo aqui pelas pessoas que professam a fé católica. Que seguem a doutrina espírita. E que querem voltar a ter seus momentos em suas comunidades religiosas. Lazer, como praia e parque, pode. Shopping, pode. Igreja é conforto espiritual, e por isso também é saúde, não pode?".


Fred finalizou pedindo que os governos do Estado e do Município tenham esse olhar especial também para as igrejas. "Numa igreja, a pessoa vai, usando sua máscara, higieniza as mãos com álcool em gel, senta e permanece ali por 1h30, 2h. É preciso que esse percentual de ocupação seja revisto, pelo menos para os mesmos 70% que os bares e restaurantes", finalizou.