Alepe aprova projeto que requer à Secretaria de Cultura registro do Patrimônio Cultural Imaterial à Orquestra Criança Cidadã

Projeto de Resolução é de autoria do deputado Clodoaldo Magalhães e tem como objetivo trazer reconhecimento a um projeto social tão importante para Pernambuco

 

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou um Projeto de Resolução de autoria do deputado estadual Clodoaldo Magalhães (PSB) que requer à Secretaria de Cultura de Pernambuco o título de Patrimônio Cultural Imaterial do Estado de Pernambuco à Orquestra Criança Cidadã (OCC), um projeto social tão importante para o estado.

 

A Orquestra Criança Cidadã é um projeto coordenado pela Associação Beneficente Criança Cidadã (ABCC) e idealizado pelo juiz de Direito João José Rocha Targino. Atualmente, a Orquestra contribui para a formação musical, cultural e artística de 360 crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social.

 

Os alunos da Orquestra Criança Cidadã recebem aulas de instrumentos de cordas, sopros, percussão, teoria e percepção musical, flauta doce e canto coral. O programa conta ainda com apoio pedagógico, atendimento psicológico, médico e odontológico, aulas de inclusão digital, fornecimento de três refeições por dia e fardamento. O método utilizado para o ensino de instrumentos de cordas é o Suzuki, criado pelo professor japonês Shinichi Suzuki, que prevê o aprendizado de forma lúdica – a criança aprende brincando. 

 

“A Orquestra Criança Cidadã vem, a cada ano, se projetando cada vez mais como um programa social exemplar”, comentou o deputado Clodoaldo Magalhães. Em seus 12 anos de existência, recebeu mais de 30 prêmios, incluindo o Prêmio Caixa Melhores Práticas em Gestão Local, de âmbito nacional. Na esfera internacional, a Organização das Nações Unidas escolheu a Orquestra como uma boa prática de inclusão social, em dezembro de 2010. 

 

Em 2015, a Orquestra Criança Cidadã tornou-se a primeira escola de música das Américas e a segunda do mundo a fazer parte do Programa de Escolas Associadas da Unesco. “Portanto, mais do que justo o reconhecimento da Casa do Povo Pernambucano a esta orquestra que tanto tem feito pelas crianças e jovens pernambucanos”, comentou o Magalhães.