Joselito Pedro será escolhido como vice-prefeito na chapa de Dida de Nan em Santa Cruz do Capibaribe

O atual secretário de Educação de Santa Cruz do Capibaribe, Joselito Pedro, parece mesmo que vai disputar as eleições municipais deste ano fazendo parte da chapa majoritária do grupo Boca preta, encabeçada por Dida de Nan (PSDB).


De acordo com informações de bastidores, o secretário já conversou com o prefeito Edson Vieira e vai deixar a secretaria até a próxima quinta-feira dia 04 de junho, que é o prazo definido pela Lei Eleitoral para deixar os cargos na administração pública.


Vale ressaltar que o secretário foi pré-candidato a prefeito até o dia 29 de dezembro de 2019, quando Edson Vieira em almoço promovido em sua residência anunciou que Dida de Nan era o escolhido do grupo para encabeçar a chapa.


Durante muito tempo houveram especulações de que Joselito teria desistido da disputa por motivação familiar, informação que não foi confirmada por ele em nenhum momento, mas parece que agora um novo pedido de Edson Vieira não será negado.


Em fala ao programa Independente na noite desta segunda-feira, o secretário confirmou que vai deixar o cargo, mas não anunciou já ser pré-candidato na chapa de Dida. “Estou com uns projetos e em breve vou anunciá-los para toda cidade. Estou conversando com o prefeito, meus familiares e amigos, e vamos está anunciando o mais rápido possível”, encerrou o secretário.

Se ligue!

EX-SECRETÁRIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DA ÁGUA PRETA, MAGAL SILVA, ADERE AO GRUPO POLÍTICO DE NOÉ MAGALHÃES, POR ACREDITAR QUE ÁGUA PRETA PRECISA MUDAR DE VERDADE E PARA MELHOR

Magal Silva, ex-secretária de Assistência Social do Governo Eduardo Coutinho, vinha participando da atual gestão e desenvolvendo seu trabalho com êxito e reconhecimento por grande parte da população. Porém, tudo mudou quando sua filha, Nayara Raphaela, servidora efetiva do município, tomou a decisão de seguir politicamente como oposição ao Governo.


Magal foi Secretária no período de abril de 2017 a dezembro de 2019 e se afastou no início deste ano, para concorrer como pré-candidata à vereadora no pleito 2020. No entanto, aos primeiros dias do mês de março, tomou a decisão de desistir, por falta de apoio do grupo e lideranças políticas que ela militou e defendeu por mais de 30 anos. Até então, Magal estava nomeada como Assessora Especial do Gabinete, porém vinha sendo assediada moralmente e perseguida politicamente por secretários e assessores do primeiro escalão, sendo limitada a fazer o que sempre fez, militar e defender movimentos sociais, em especial a defesa da mulher, bandeira que ela sempre levantou.


Sabendo de todo seu histórico de lutas e vitórias, como também do potencial político de Magal Silva, o pré-candidato a prefeito, Noé Magalhães e sua esposa Danny Magalhães, a procurou e a convidou a participar de um novo grupo político, com o objetivo de resgatar, valorizar e libertar o povo da Água Preta, trazendo esperança e uma forma nova e verdadeira de cuidar.


Com pensamentos positivos e visão por um crescimento e mudança de verdade, assim como por incentivo, apoio e aprovação de familiares e amigos, Magal Silva aceitou mais um desafio e está pronta para colaborar com o projeto de mudança, liderada pelo pré-candidato, Noé Magalhães.

Marco Aurélio apresenta projeto com regras para reabertura das igrejas em Pernambuco

Templos devem funcionar com 20% da capacidade, sendo obrigatório o uso de máscaras.


Um Projeto de Lei apresentado pelo deputado estadual Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB), estabelece as igrejas e os templos de qualquer culto como atividade essencial em todo o Estado de Pernambuco durante o período de calamidade pública decretado em virtude do Novo Coronavírus. 


Para o deputado Marco Aurélio, as atividades desenvolvidas pelos templos religiosos se mostram essenciais, principalmente durante os períodos de crises. “As pessoas estão precisando mais do que nunca de assistência social, espiritual e emocional. O papel dessas instituições impõe atuação com atendimentos presenciais que ajudam a lidar com as emoções das pessoas que passam por necessidades e enfrentam momentos difíceis”, justifica o parlamentar. 


Entenda as regras do Projeto de Lei


De acordo com a proposta apresentada por Marco Aurélio, o funcionamento das igrejas e templos deverá vedar a participação de:


Idosos com 60 (sessenta) anos de idade ou mais;

Pessoas que possuam algum problema de saúde crônico (comorbidades), ou que apresentem ou tenham apresentado qualquer sintomatologia relacionada a gripe ou Covid19 nos últimos 15 dias;

Pessoas que tenham ou tiveram contato direto com pacientes suspeitos e/ou confirmados infectados pelo Novo Coronavírus num prazo inferior a 15 dias;

Crianças. 


Ainda de acordo com o Projeto de Lei, o funcionamento ocorrerá com a capacidade de pessoas limitada a 20% (vinte por cento) da igreja ou templo, sendo obrigatório a utilização de máscaras de proteção por todos os presentes. Também estabelece a distância entre uma pessoa e outra presentes no local, que deverá ser de 03 (três) poltronas para os lados esquerdo e direito, como também para frente e para trás, garantindo assim o cumprimento do distanciamento mínimo para ambientes públicos sugerido pela Organização Mundial de Saúde (OMS).


Ao final das celebrações os organizadores devem tomar as providências para que os fiéis, no ato de saída do local, mantenham o distanciamento mínimo de um metro e meio entre eles, não fiquem aglomerados, tenham acesso a álcool em gel 70% (setenta por cento) e guardanapos de papel para a devida higienização, bem como responsabilizam-se pela completa desinfecção do ambiente antes da realização de uma nova celebração, em cumprimento às recomendações sanitárias. 


Punição- O descumprimento de medidas estabelecidas pela Lei, notificado pelos órgãos de fiscalização, acarretará o não funcionamento da igreja ou templo pelo período em que durar o plano de contingência. 

Governo lança Plano de Convivência com a Covid-19 e estabelece retorno gradual das atividades econômicas

Restabelecimento da atividade comercial e de serviços vai considerar o risco de cada segmento à saúde e sua importância para a economia. Flexibilização será feita em fases e terá monitoramento dos níveis de contaminação


Com o final do período de intensificação da quarentena, o Governo de Pernambuco começa a pôr em prática o “Plano de Monitoramento e Convivência com a Covid-19”, que determina a retomada gradual e planejada das atividades econômicas em todo o Estado. O cronograma prevê de que forma 32 setores econômicos terão as medidas restritivas flexibilizadas, e como será a carga operacional desse retorno, que seguirá protocolos gerais e específicos para evitar a transmissão da doença.


O ciclo de reabertura gradativa chegará à flexibilização total ao final de um período de 11 semanas. O calendário, porém, poderá ser antecipado ou prorrogado, dependendo do comportamento da curva de contaminação. Os detalhes do plano foram apresentados pelos secretários de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach, e de Planejamento, Alexandre Rebêlo, em entrevista à imprensa realizada remotamente no Palácio do Campo das Princesas. Ficou claro, na entrevista, que a flexibilização escalonada ocorrerá gradativamente até o Estado chegar ao que se entende por “normalidade controlada”. Na mesma coletiva, o secretário estadual de Saúde, André Longo, detalhou os últimos números da pandemia do novo coronavírus.


De acordo com o plano anunciado hoje, serão considerados, prioritariamente, a relevância socioeconômica dos setores e os riscos que o retorno de cada atividade pode representar para a área de saúde. Os próximos 15 dias, inclusive, serão determinantes para testar a segurança da flexibilização e os impactos na saúde da população. A primeira etapa, que começa nesta segunda (01.06), permite a operação de lojas físicas de material de construção, seguindo novos protocolos de atendimento. Também poderão funcionar, exclusivamente por delivery, as unidades de varejo de bairro e do Centro, assim como shoppings centers e o comércio atacadista.


A partir do dia 08 de junho, a construção civil iniciará o retorno gradual, tanto na Região Metropolitana do Recife quanto no interior: Na RMR, as obras serão liberadas com 50% dos funcionários e no horário das 9h às 18h. Já no interior, a liberação também é de 50%, sem determinação de horário. O comércio atacadista também poderá atuar a partir da próxima semana, mas na RMR só será permitido no horário das 9h às 18h. Novos protocolos do setor deverão ser respeitados.


No dia 15 de junho, os serviços de atendimento ao público entrarão no circuito de flexibilização. Salões de beleza, barbearias e serviços de estética estarão liberados, mas precisarão atender uma pessoa por vez, por agendamento, sem fila de espera e com higienização entre um cliente e outro. Varejos de bairro também poderão funcionar, mas só em lojas de até 200 metros quadrados.


Shoppings centers, centros comerciais e praça de alimentação poderão adicionar o atendimento via coleta na operação. Vale ressaltar que, na RMR, o horário permitido de coleta será apenas entre 12h e 18h. Treinos de futebol profissional estarão liberados a partir dessa data. Todos os setores estarão sujeitos a novos protocolos de segurança, baseados em distanciamento social, regras de higiene, monitoramento e comunicação.


O estudo que determina as etapas de convívio e reabertura das atividades econômicas foi produzido ao longo dos últimos dois meses, pelo Comitê Socioeconômico de Enfrentamento ao Coronavírus, do Governo do Estado, em diálogo com as federações de representações empresariais e a Consultoria Deloitte, que utilizou pesquisas de referência mundiais e nacionais.


O restabelecimento escalonado das atividades econômicas e a circulação de pessoas nas próximas semanas estará sob avaliação, e o cumprimento do cronograma depende do comportamento das curvas de contaminação e de mortes provocadas pelo coronavírus. Atualmente, um grupo formado por agentes da Secretaria estadual de Saúde, em parceria com o Laboratório de Imunopatologia Keiso Asami (Lika), da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), além do Porto Digital, mantém atualizado o mapa do impacto da pandemia em todo o Estado.

Atenção!

Com Caruaru e Carnaíba, Amupe finaliza reuniões de análise de portal da transparência em 16 municípios

A Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), realizou na última sexta-feira, 29/05. por meio do Projeto Gestão Cidadã, financiado pela União Europeia, reuniões por videoconferência com as controladorias das cidades de Carnaíba e Caruaru, a fim de analisar e propor aperfeiçoamentos para o portal da transparência de ambos municípios. Com isso, encerram-se as reuniões que a entidade vem promovendo há 15 dias, junto aos 16 municípios que fazem parte da área de atuação do Gestão Cidadã.


A ideia é alertar os municípios a respeito das novas exigências do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE), através das Resoluções TC N°74, de 4 de março de 2020 e TC N°68, de 11 de dezembro de 2019, e da Lei de Acesso à Informação (LAI). Os técnicos na Amupe enviam à controladoria uma análise de cada portal antes de cada encontro.


Para a secretária executiva da controladoria de Caruaru, Andréa Ribeiro, “outros pontos de vista acerca da nossa ferramenta de transparência são bastante válidos. Às vezes a gente analisa e conclui que atende às expectativas, quando outros técnicos elaboram outro tipo de monitoramento, acham situações que carecem de aperfeiçoamento. Agradeço muito a Amupe, pelo Projeto Gestão Cidadã, a ajudar Caruaru na disposição de informações para a população”, completou. 


A reunião com Carnaíba foi com o chefe de gabinete Renan Walisson e com a controladora Osvalda Gonçalves. Para Renan “o caráter educativo do Projeto Gestão Cidadã fortalece o controle social e nosso município, oferecendo um serviço de qualidade ao cidadão de Carnaíba”, frisou. Já Osvalda destacou a importância que a gestão municipal dá ao tema transparência, segundo ela “o prefeito Anchieta Patriota preza diariamente pela manutenção da transparência no nosso município. E o apoio do Projeto Gestão Cidadã, mesmo em tempos de pandemia, é fundamental para a participação popular na gestão”, enfatizou.


Para o presidente da Amupe, José Patriota, que também é prefeito de Afogados da Ingazeira, “o Gestão Cidadã, há 3 anos e meio vem promovendo a participação social e transparência em 16 municípios pernambucanos. Essas ações, mesmo em tempos de pandemia, mostram que a Amupe se preocupa em fortalecer as gestões no que diz respeito a transparência e com isso contribuir para um controle social sólido no Estado de Pernambuco”, concluiu.


A reunião aconteceu com os municípios de Águas Belas, Bezerros, Caruaru, Cumaru, Cupira, Gravatá, Machados, Quipapá, Surubim e Toritama, no Agreste; Calumbi, Carnaíba, Flores, Santa Cruz da Baixa Verde, Solidão e Tabira, no Sertão. Para ficar sempre por dentro de ações como essas, acesse gestaocidada.amupe.org, ou confira nossas redes sociais no @projetogestaocidada.

Policlínica vacina contra a tuberculose e faz o Teste do Pezinho

Devido a pandemia de Covid-19, os serviços de saúde do município estão atendendo com datas especificadas. A Policlínica de Toritama está aplicando as doses de Vacina BCG (contra a tuberculose) todas as quarta-feira pelas manhãs. Nas terças-feiras e quintas-feiras pelas manhãs é a vez das mamães levarem seus bebês para realizarem o Teste do Pezinho. 


A Policlínica disponibiliza o contato (81) 99594-7812 para os usuários obterem mais informações.

Um junho mudo e de cinzas

Por Mariana Teles


O ano é de 2020. Amanhece junho, segunda feira. No calendário é o sexto mês do ano, aquele que marca a metade da volta que damos em torno do sol a cada 365 dias.


É o tempo junino. Basta o frio começar a aparecer que a gente intuitivamente segue o caminho do interior. Caruaru já estaria em festa. Petrolina e Arcoverde iluminando o sertão de uma ponta a outra. Lá no frio da Serra Negra de Bezerros o forró já estava "comendo no centro". Do outro lado da fronteira, na minha igualmente amada Paraíba, Campina Grande já fazia a mágica de deixar o mundo dentro do Parque do Povo. Era tempo de São João. Santo Antônio. São Pedro. Para cada santo, um forró/romaria diferente. 


No nordeste, essa virada de calendário é um ritual. Com direito a cheiro, cores, sons e sabores. Zé Marcolino, compositor imortalizado na voz de Luiz Gonzaga cantou lá atrás que: "todo tempo que houver pra mim é pouco, pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco”. José Fernandes, outro compositor de pena iluminada emprestou ao velho Gonzaga aquela canção que se tornou hino do mês de junho: "olha pra o céu, meu amor, vê como ele está lindo..." 


Essa mistura de vozes e sons tornou o mês de junho um mês atípico para o povo sertanejo. Capaz de mexer com a nossa auto estima, de iluminar as vielas do interior com aquelas bandeirinhas coloridas cortadas de todo tamanho, de tirar a chita com cheiro de naftalina do armário e passar um pano no chapéu do São João do ano passado.


Além do som, que compõe a tônica das sanfonas, das zabumbas e do triângulo do mês de junho, o paladar do sertanejo parece adivinhar o tempo de comer canjica, pamonha e festejar o mês de junho com a boca e os pés, ora provando o gosto do milho assado, ora dançado dois pra lá e dois pra cá.


O São João é o Carnaval do povo do sertão. É o tempo que a gente escolhe para comprar aquelas "mudinhas" de roupa que passa o ano inteiro esperando. Que o parente que foi trabalhar no sudeste chega falando chiando e perguntando onde é o primeiro forró de pé de balcão para ir tomar uma pinga...


Esse ano, com a coronacrise que nos impõe a prisão domiciliar moderna, a saúde é o refrão da quadrilha que a gente precisa puxar. Mas dá um desgosto danado começar o mês de junho sem sentir o cheiro do povo na rua, das cidadelas do interior vivendo a ansiedade de saber qual o sanfoneiro e banda iam tocar no dia festejo.


Eu nunca vivi um ano sem São João. Não sei como o povo da minha terra vai viver esse mês de junho sem chegar nem perto de um forró pé de serra. Esse negócio de Live pra cá, live pra lá, pode prestar para um bocado de coisa, mas fica faltando a energia do povo misturado, o calor da fogueira e o trinado da sanfona. A gente gosta mesmo é de gente e de forró no meio da rua. 


Meus amigos músicos estão com os instrumentos guardados. A moça do cachorro quente não vai salvar ninguém da fome no final da festa. A cabeleireira do bairro não renovou o estoque de tinta para cabelo. A costureira não vai colocar o bico no vestido da menina que ia dançar quadrilha. O homem do som e do palco, não mandou tirar a poeira dos equipamentos. Uma indústria inteira, para além do entretenimento, mas responsável por mais de 5 milhões de emprego no país de mãos cruzadas e boca fechada. É um ano atípico. Nem as cinzas da fogueira de São João conseguem ser mais triste do que o mês de junho que amanhece hoje.


Um pedaço da identidade do nosso povo é cerceado. A gente tem que cuidar da saúde, pois muitos outros meses juninos virão, mas por enquanto, a gente também precisa cuidar daquela fogueira que aquece a alma, enche o coração, os ouvidos e deixa a gente dançando no imaginário de um São João colorido, alegre e com sanfona de verdade. E eu, sentindo a tristeza coletiva de todo nordestino, me recorro aos "meninos de Zé Marcolino", meus queridos Bira e Fatinha, e mando o mesmo bilhete para Siá Filiça. 


Cadê a lenha da fogueira 

Siá Filiça 

Cadê o milho pra assar 

Cadê aquele teu vestidinho de chita 

Que tu vestia pra dançar 

Cadê aquele sanfoneiro 

Que eu pedia pra tocar 

A canção da minha terra 

Um forró de pé-de-serra 

Que eu ajudava a cantar 

Quando me lembro disso tudo 

Siá Filiça 

Me dá vontade de chorar 

Cadê aquele balãozinho 

Siá Filiça 

Que coloria o meu lugar 

Minha esperança ainda dorme 

Siá FiIiça 

E eu com pena de acordar 

Quebrar panela no terreiro 

E a fogueira pra pula 

Uma quadrilha bem marcada 

E um belo São João de latada 

Que era bom pra namorar 

Quando me lembro disso tudo 

Siá Filiça 

Me dá vontade de chorar. 


Fico esperando a resposta, Siá Filiça em 2021. De preferência, com o São João começando logo em março, pra gente tirar o atraso de 2020.


*Advogada, poetisa e sertaneja

“Em Pernambuco quem não reza a cartilha do PSB é perseguido”, declara Fernando Rodolfo

O deputado federal por Pernambuco, Fernando Rodolfo (PL), cumpre seu primeiro mandato na Câmara Federal e se mantém um áspero crítico da gestão do PSB em Pernambuco, comandada pelo governador Paulo Câmara (PSB). O deputado lamentou a atuação do Governo Estadual em áreas como segurança e saúde, durante participação no programa Cidade em Foco, transmitido pela Rede Agreste de Rádios. 


Na oportunidade, o deputado lamentou o fechamento de agências bancárias em cidades do interior do estado e creditou esse fato a criminalidade que atua no arrombamento de bancos e a negligencia do Governo Estadual em combater essas quadrilhas especializadas. "Se o governo quisesse realmente combater essas quadrilhas faria uma ação específica de enfrentamento a essas quadrilhas que agem pela madrugada”, destacou o parlamentar. 


Na área de saúde, diante da atual crise do novo coronavírus, Rodolfo se mostrou preocupado com a forma como tem sido distribuído os Equipamentos de Proteção Individual pelo Governo do Estado. "O que me chama atenção é o governo do estado ter contratado algumas empresas para fornecer Equipamentos de Proteção Individual para preso. Ora, se quer fornecer para presidiário, já que o Governo do PSB gosta tanto de cuidar dos bandidos, faça, mas faça depois que atender os profissionais de saúde”, pontuou o mesmo. 


Em dado momento, o parlamentar foi ainda mais incisivo e afirmou não temer as perseguições do Governo do Estado ou do PSB. "Aqui em Pernambuco quem não reza a cartilha do PSB é perseguido. Muitos têm medo dessa perseguição do PSB e acabam ficando calado, ou então começam a rezar pela cartilha do Governo”, afirmou o mesmo, que seguiu declarando, "Eu não dependo de governo para nada, fui eleito sem o apoio de ninguém, fui eleito pela confiança das pessoas que enxergaram em mim, na televisão, um porta voz das suas causas”, disse. 


O deputado se comprometeu na oportunidade em continuar honrado a confiança que lhe foi depositada nas urnas e chegou a declarar que será o mais votado em Pernambuco para a Câmara Federal nas próximas eleições. "Vão ter que me engolir quatro anos, se quiserem me tirar da Câmara, trabalhem para me derrotar nas urnas, porque eu vou para as urnas de novo e vão ter que me engolir, estou pronto. Não tenho medo do PSB, não tenho medo de governador, não tenho medo de ninguém”, declarou.


Se ligue – O programa “Cidade em Foco” vai ao ar de segunda a sexta-feira: 11:00 hs, na Rede Agreste de Rádios, composta pelas Emissoras: Rádio Filadélfia FM (104,9), Farol FM (90,5), Rádio Cambucá FM (104.9), Rádio Vale FM (91.7), Redentor FM (104,9), Orobó FM (105.9), Potyra FM (87,9), Vertentes FM (104.9) e pela Internet: www.filadelfiafm.net ou através do www.blogdoalberesxavier.com