Sandro Cipriano é patrono da causa da Diversidade em Pernambuco

Homenagem ao professor que dedicou a vida na defesa dos direitos LGBTI+ e foi assassinado ano passado


Um ano após o assassinato de Sandro Cipriano, professor e ativista dos direitos LGBTI+, a Assembleia Legislativa de Pernambuco votou em plenário Lei que o torna patrono da causa da Diversidade no Estado. A iniciativa foi do deputado Isaltino Nascimento, que tem dentro do seu mandato políticas de defesa dos direitos humanos.


O crime que ceifou a vida de Sandro aconteceu no dia 27 de junho do ano passado, na Zona da Mata de Pernambuco, durante o período das comemorações ao Dia Internacional do Orgulho LGBTI+. Sandro foi presidente da Rede LGBTI+ do município de Pombos e coordenador do movimento no interior do Estado. Criou diversos grupos em defesa da diversidade, da juventude e da educação do campo.


“Sua história de jovem lutador, reconhecido amplamente, jamais ficará apagada. Sandro foi mais uma vítima da LGBTfobia e o reconhecimento de sua luta fortalecerá o movimento”, justifica Isaltino, autor da lei.


EM MEMÓRIA – Sandro Cipriano nasceu na zona rural de Gravatá. Formado em Pedagogia, o educar de 35 anos de idade militava pelos direitos humanos, sendo uma das maiores lideranças da juventude do interior. Foi professor da ONG SERTA (Serviço de Tecnologia Alternativa) no curso de agroecologia. Também atuou na defesa da agricultura familiar.