Prefeito Joãozinho Tenório publica texto em homenagem ao pai, o ex-prefeito João Tenório que morreu hoje

O prefeito de São Joaquim do Monte, Joãozinho Tenório publicou nesta quarta-feira, 08, um texto em homenagem a seu pai, o ex-prefeito João Tenório, falecido hoje.


Por conta da pandemia, o velório e enterro não serão abertos aos amigos e à população. 


A seguir carta de despedida do prefeito publicada nas redes sociais: 


Carta a meu pai que nos deixou hoje


Perdi hoje meu pai, João Tenório, de quem com muita honra herdo o nome. Perdi o meu melhor amigo, um líder. Minha mãe se despede hoje de seu companheiro por tantos anos. Minha irmã Irá e minhas filhas, suas únicas netas Gabriela e Vitória, dizem adeus a um pai sempre presente e um avô muito amoroso.


Meu pai sempre foi um exemplo para mim. Foi um dos principais incentivadores e responsáveis por minha trajetória na vida pública. Se hoje sou prefeito, devo muito a ele, como também às suas contribuições e a seu legado. Homem que sempre lutou por sua terra, por suas origens, por nossa gente, por São Joaquim do Monte.


Neste momento tão difícil que estamos passando, seguindo as orientações dos órgãos da saúde, não realizaremos velório nem enterro abertos aos seus muitos amigos e a população de São Joaquim do Monte. Assim que isso tudo passar, vamos estar novamente juntos para fazermos as justas e merecidas homenagens à sua memória. Peço que, se possível, coloquem seu nome em suas orações. Rezem por ele. 


As minhas palavras hoje são de saudade e de gratidão. Somos gratos a Deus pelo tempo que ele passou conosco. Homens como meu pai nunca serão esquecidos. Seu caráter, sua bondade, suas ações o deixarão vivo em nossos corações.


Neste momento de dor e de despedida, meu pai, tenha certeza que o seu exemplo continuará guiando os nossos passos. 


A sua presença de amor também.

Descanse em paz!


Joãozinho Tenório

Prefeito de São Joaquim do Monte

Governo de Pernambuco anuncia cartão alimentação para estudantes da Rede Pública Estadual

O cartão irá beneficiar os estudantes mais carentes da rede durante o período de suspensão das aulas. Governo vai abrir linha de crédito no valor de R$ 6 milhões para o Polo de Confecções e disponibilizar material técnico para produção de equipamentos de proteção, como batas e máscaras. Agendamento de atendimentos nas Agências do Trabalho será retomado.


O Governo de Pernambuco anunciou o lançamento do cartão alimentação para estudantes da rede pública estadual. Com investimentos na ordem de R$ 12 milhões, o repasse de R$ 50 irá beneficiar cerca de 240 mil estudantes em todas as regiões do Estado. 


Serão beneficiados com a medida os estudantes em maior situação de vulnerabilidade e que dependem da merenda fornecida pelas escolas. Com as aulas suspensas devido ao isolamento como forma de prevenção a propagação do novo Coronavírus, a medida do Governo do Estado busca suprir a interrupção das atividades nas escolas, inclusive, do fornecimento da merenda para os estudantes. O valor repassado será equivalente aos alimentos necessários para um mês de refeição por estudante e só poderá ser utilizado em compras de produtos alimentícios. 


A iniciativa tem como base os dados das famílias inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal.


A distribuição do cartão alimentação, que será gerenciado pela Alelo, empresa de serviços financeiros especializada em benefícios, incentivos e gestão de despesas corporativas, será realizada a partir do dia 20/04. A Secretaria de Educação do Estado explica que a partir da próxima segunda-feira (13), as famílias dos estudantes da rede pública estadual poderão acessar o site (educacao.pe.gov.br) e realizar a consulta para saber se terão direito ao benefício. 


Também será disponibilizada a consulta da rede Alelo, que contempla mais de 9.300 estabelecimentos credenciados em todas as regiões do Estado. A estratégia de uso do cartão alimentação vai também beneficiar a economia dói estado, pois os alimentos serão adquiridos em supermercados, mercadinhos, padarias e outros estabelecimentos locais.


Além do cartão merenda, a família receberá uma carta de apresentação com todas as orientações sobre o uso do cartão, informações nutricionais, sugestões dos produtos a serem adquiridos e de produtos não permitidos, como bebidas alcoólicas e refrigerantes, por exemplo. 


POLO - O Polo de Confecções do Agreste será mais um aliado dos pernambucanos no combate à pandemia do coronavírus. Atento à relevância do setor produtivo para o PIB da região, o Governo lançou medidas para impulsionar a indústria, adequando a linha de produção para atender à demanda da população por equipamentos e itens de proteção contra a Covid-19. 


A ação é dividida em três eixos estratégicos: apoio técnico, com fornecimento de manuais para produção e de selo de certificação para atestar a qualidade dos novos produtos; suporte financeiro, com linha de crédito especial no valor de R$ 6 milhões, garantindo a aquisição de matéria-prima para mais de 120 empresas; e consultoria comercial, com o objetivo de facilitar a interlocução com os diversos mercados consumidores. 


A estimativa inicial é que o polo produza cerca de 1 milhão de unidades de máscaras para abastecer a população do Estado em pontos de venda físicos, como supermercados e farmácias, e também por meio de plataformas de e-commerce. Além de aproximar o setor fabril das empresas do varejo, o Governo do Estado já encomendou 200 mil unidades dos protetores faciais para abastecer os servidores públicos que continuam trabalhando, diariamente, em contato com o público.  


A mudança da linha de trabalho de fábricas do Agreste foi iniciada e o objetivo é que ela ocorra de forma padronizada, mantendo os requisitos de qualidade que o mercado exige. O Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções de Pernambuco (NTCPE), organização social contratada para desenvolver políticas públicas para o setor, tem fornecido há cerca de duas semanas um manual técnico com protótipos de equipamentos de proteção, como batas, máscaras e protetores para os pés, para as empresas promoverem a adaptação necessária. Cerca de 50 empresas já estão com suas linhas de produção ativas.


O documento, que está disponível gratuitamente no site www.ntcpe.org.br, descreve modelagens e insumos necessários para a fabricação de cada produto. A ação tem como base aproveitar a base industrial já instalada e escoar a matéria-prima existente na região, incentivando a aquisição de fornecedores locais. Além disso, o NTCPE vai avaliar os protótipos confeccionados, emitindo um selo de qualidade que garantirá a padronização da produção em grande escala. 


Para garantir a compra de insumos e cobrir estoques para a nova produção, os empreendedores do Polo de Confecções terão acesso a uma linha de crédito, disponibilizada pelo Governo do Estado através da Agência de Empreendedorismo de Pernambuco (AGE). Os recursos deverão ser utilizados exclusivamente para a compra da matéria-prima necessária à confecção de itens para o combate e proteção à Covid-19. São cartas de crédito com empréstimos individuais de até R$ 50 mil, totalizando R$ 6 milhões e taxas de juros de 0,31% ao mês. Mais de 100 empresas devem ser beneficiadas. Mais informações podem ser obtidas pelo Disque AGE (0800- 081-8081) ou pelo e-mail negocios@age.pe.gov.br.


Grandes empresas que reúnem milhares de fornecedores em seus canais de venda, já estão em negociação com o governo estadual para disponibilizar a produção pernambucana de máscaras e demais itens em suas plataformas de e-commerce. Estabelecimentos do atacado e do varejo que não foram impactados com a suspensão das atividades, como supermercados e farmácias, serão acionados para abastecer suas prateleiras com os itens fabricados no Agreste pernambucano. 

O setor têxtil e de confecções do Agreste movimenta, por ano, quase R$ 6 bilhões em negócios, além de ocupar cerca de 250 mil pessoas, entre empregos formais e informais em todo o Estado. As indústrias respondem pela produção de 225 milhões de peças por ano e são o principal agente econômico na geração de riquezas e de postos de trabalho de mais de 40 municípios em Pernambuco e na Paraíba.


TRABALHO - Para atender aos trabalhadores e trabalhadoras que têm dificuldade de acesso à internet, a Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco decidiu retomar os atendimentos presenciais em 30 Agências do Trabalho em 11 Regiões de Desenvolvimento do Estado a partir da próxima terça-feira (14/04). A prioridade é para pessoas que precisam acessar o Seguro Desemprego. O funcionamento ao público irá respeitar as medidas emergenciais temporárias no combate ao novo Coronavírus, dispostas no Decreto do Governo do Estado, bem como as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS). 


Todas as unidades das Agências do Trabalho terão uma série de cuidados para oferecer segurança, tanto aos servidores, quanto aos trabalhadores que necessitam dos serviços presenciais. Com o intuito de não formar filas e evitar aglomerações, os atendimentos deverão ser agendados pelo canal www.pecidadao.pe.gov.br. Outros serviços realizados pelo Núcleo de Atendimento continuarão sendo oferecidos aos trabalhadores, como informações sobre o Seguro Desemprego, acesso à Carteira Digital do Trabalho e intermediação de mão de obra. 


Para preservar a saúde dos trabalhadores, os cuidados preventivos serão iniciados na entrada as Agências, com a oferta de álcool 70% para os trabalhadores que chegarem. Os servidores estarão usando máscaras e terão à sua disposição álcool 70%. Também serão orientados a fazer a higienização das mãos com água e sabão a cada três atendimentos. Nos guichês, os atendimentos serão feitos de forma alternada, mantendo assim, uma distância de pelo menos dois metros um do outro.

Ossesio Silva solicita mais doses da vacina contra a gripe influenza para Pernambuco

Visando garantir a imunização da população pernambucana contra a influenza, o deputado federal Ossesio Silva (Republicanos-PE) enviou o requerimento ( nº do requerimento) ao Ministério da Saúde solicitando ao ministro, Luiz Henrique Mandetta, mais doses da vacina contra a gripe para Pernambuco. A Campanha Nacional de Vacinação teve início no dia 23 de março, priorizando idosos maiores de 60 anos e profissionais de saúde, mas foi interrompida, em municípios pernambucanos, duas vezes por falta da medicação.  


Ao proteger a população da influenza, menos gente necessita de hospitalização, fator fundamental no atual cenário de saúde pública em que se encontra os estados do país devido à pandemia do Coronavírus, incluindo Pernambuco. Ao desafogar os hospitais, os esforços poderão ser direcionados a pessoas que necessitam de atendimento por causa da Covid-19. 


Ossesio explica que o pedido tem o intuito de imunizar o quanto antes idosos e profissionais da saúde, que fazem parte dos públicos prioritários. “Os idosos precisam muito dessa imunização, já que estão no grupo de risco da Covid-19 e sofrem mais com as consequências da gripe. Precisamos nos prevenir para não gerar sobrecarga no sistema de saúde”, lembrou.


Dados do Ministério da Saúde apontam que em 2020, até a Semana Epidemiológica 11 (14 de março), foram registrados 165 casos e 13 óbitos por Influenza A (H1N1), 139 casos e 14 óbitos por Influenza B e 16 casos e 2 óbitos por Influenza A (H3N2). Vale lembrar que, apesar da vacina não ter eficácia contra ao do Coronavírus, ela facilita a identificação de casos ao imunizar a população contra Influenza A (H1N1 e H3N2) e Influenza B, já que os sintomas são parecidos.

Fernando Rodolfo intercede por consumidores de Salgueiro e pede a Clebel pra acionar a Celpe

O deputado federal Fernando Rodolfo (PL-PE) enviou nesta quarta-feira (8) ofício ao prefeito Clebel Cordeiro (PL) solicitando que encaminhe à Celpe a listagem de todos os inscritos no CadÚnico para que sejam incluídos como beneficiários da “tarifa social”.


O objetivo é ampliar, com a iniciativa, as medidas para atenuar a grave crise econômica e social que já é visível, segundo ele, em decorrência da pandemia do novo coronavírus.


Rodolfo justificou que o programa Tarifa Social da Conta de Energia, que beneficia 9,4 milhões de famílias de baixa renda no país com descontos que vão até 65% da conta de luz, conforme a faixa de consumo, deixa milhares delas de fora do benefício ao obrigá-las a formalizar na Celpe o pedido de desconto.   


“Esta obrigação acaba deixando muita gente necessitada sem o benefício, por total desconhecimento da Tarifa Social, plenamente compreensível devido à baixa escolaridade e pouco acesso à informação do cidadão de baixa renda”, justifica ele no ofício.


“Trata-se de medida de fácil aplicação e amplíssimo alcance social”, completa.

De acordo com Fernando Rodolfo, “não podemos permitir que, numa conjuntura como a atual, a burocracia aprofunde ainda mais a tragédia social que se desenha“. Essa medida já adotada de forma pioneira no Brasil pelo prefeito Anderson Ferreira (PL) em Jaboatão dos Guararapes.

Intervenção em Goiana pode não prosperar

Em sessão virtual realizada de 20 a 26 de março, o Supremo Tribunal Federal (STF), por unanimidade, julgou procedente a ADI 2917, proposta pela Procuradoria Geral da República (PGR), para declarar a inconstitucionalidade do art. 91, inciso V, da Constituição do Estado de Pernambuco que prevê a possibilidade do Estado intervir no município quando ‘ocorrer prática de atos de corrupção e improbidade nos Municípios’.


Acolhendo a tese da PGR, os ministros do STF entenderam que o referido dispositivo é incompatível com o artigo 35 da Constituição Federal, pois ali o legislador Constituinte foi claro quanto ao rol taxativo, das hipóteses em que o Estado pode intervir nos municípios. “No nosso entendimento, acertadamente, a Corte entendeu que o Constituinte Estadual inovou ao criar hipótese de intervenção não prevista em nossa Carta Magna”, comenta o advogado eleitoral, Emílio Duarte, acrescentando que o STF acertou na medida em que preserva o Pacto Federativo, princípio fundamental da República Federativa do Brasil, art. 1º da CF.


Entendemos que a decisão pode interferir diretamente em um caso que está movimentando o mundo político/jurídico pernambucano nesses últimos dias. Em que pese a limitação de informações disponíveis sobre caso, visto que tramita sob segredo de justiça, resta latente que o Procurador Geral de Justiça do Estado, ao requerer a intervenção no Município de Pernambuco utilizou como fundamente justamente o malsinado artigo 91, inciso V, da Constituição do Estado de Pernambuco. A conferir.


Raphael Parente Oliveira


Advogado militante nas áreas do Direito Administrativo e Eleitoral


Emílio Duarte


Advogado Eleitoral e Membro da CEDE CFOAB

Mendonça pede a Paulo Câmara que reveja portaria que prejudica setores do comércio

O ex-ministro Mendonca Filho defendeu que o governador Paulo Câmara mude a portaria da Secretaria da Fazenda que exclui as atividades de comércio de combustíveis, varejo e logistas de shoppings dos benefícios concedidos pelo decreto estadual anunciado pelo Governo, prorrogando os prazos relativos ao cumprimento de obrigações tributárias e contestações, suspensão de execuções fiscais e notificações de débitos. 


"Logo após o governador assinar um decreto liberando o prazo de envio das obrigações acessórias do ICMS até o fim da pandemia, o Governo voltou atrás por decisão da Secretaria da Fazenda . É uma medida que vai na contramão da preservação da atividade econômica. Precisamos garantir as vidas e os empregos dos pernambucanos", afirmou Mendonça Filho. 


Segundo Mendonça, a decisão de suspender essas obrigações para aliviar o sufoco pelo qual estão passando os empreendedores é louvável. Mas, deixar de fora do benefício setores importantes da economia é uma medida equivocada e sem sentido. No Decreto, o Governo prorrogou para 30 de junho os prazos vencidos a partir de 21 de março de 2020, relativos ao cumprimento de obrigações tributárias acessórias previstas na Legislação Estadual e à contestação do débito constante. 


Mendonça lembrou que o Governo argumentou ser o decreto foi baseado em estudos para enfrentamento aos efeitos da pandemia na economia. "Não é possível que esses estudos mostrem que setores como comercio de combustíveis, varejo e logistas de shopping, que geram milhares de empregos, não sejam importantes a ponto de merecer tais benefícios! Sinceramente, gostaria de ter acesso a esses estudos", questionou.

Benefício de R$ 600,00: 18,3 milhões inscritos no 1º dia

Por Estadão Conteúdo


Dezoito milhões e 300 mil trabalhadores informais se cadastraram até as 21h de ontem, para receber o auxílio emergencial de R$ 600 que será pago por três meses aos atingidos pela crise do novo coronavírus. O número é um termômetro da corrida em busca de um alívio no bolso num momento em que a necessidade do isolamento social, recomendada por autoridades de saúde, tem feito minguar a renda desses cidadãos.


A enxurrada de cadastros veio no primeiro dia de funcionamento do site e do aplicativo para o cadastro dos informais que hoje estão completamente fora do radar do governo. Eles não têm registro de microempreendedor individual, nem contribuem de forma autônoma ao INSS. O governo estima que 15 milhões a 20 milhões de trabalhadores estão nessa situação e serão atendidos por esses canais.


Os cadastrados no site ou no aplicativo só devem começar a receber a partir de 14 de abril, segundo calendário divulgado pela Caixa. É possível indicar conta em qualquer banco, mas quem ainda não tem relacionamento bancário receberá o dinheiro numa poupança digital da Caixa e só poderá fazer transações eletrônicas, como transferências e pagamento de contas. Inicialmente, não será possível sacar o dinheiro das poupanças digitais. Um calendário para permitir o resgate em espécie dos valores ainda está sendo elaborado pelo governo.


"As pessoas vão receber o dinheiro na conta e vão poder fazer movimentação. Mas saque terá cronograma. Se num dia só liberarmos 50 milhões para sacar dinheiro ao mesmo tempo, teremos colapso no sistema financeiro", disse o presidente da Caixa, Pedro Guimarães. "Estamos estudando um escalonamento para recebimento em espécie."


Até lá, os próprios dirigentes da Caixa avisam que os contemplados poderão fazer transferências gratuitas para contas de familiares ou pessoas próximas - para quem não há impedimento de saque.


Antes de esse grupo de "invisíveis" começar a receber, o governo iniciará os pagamentos aos brasileiros inseridos no Cadastro Único de programas sociais. São cidadãos de baixa renda já registrados na base de dados e que podem ser elegíveis ao benefício. A Dataprev já começou a rodar os cadastros para verificar quem dentro do CadÚnico precisa receber o auxílio, e a concessão será feita de forma automática. Nesse grupo, quem tiver conta na Caixa ou no Banco do Brasil receberá rapidamente. Nos demais casos, haverá a criação da poupança digital, com as mesma limitação inicial para saques em espécie.


O pagamento da segunda parcela também será feito em abril, entre os dias 27 e 30, de acordo com o mês de aniversário. A terceira e última parcela, por sua vez, será paga entre 26 e 29 de maio.


O terceiro grupo, formado por 14 milhões de famílias beneficiárias do Banco do Brasil, vai receber o auxílio emergencial no mesmo calendário do programa, com pagamentos na segunda quinzena de abril, maio e junho.


O economista Marcelo Neri, do Centro de Pesquisas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV), vê com preocupação a logística da operação montada pelo governo. Com base em dados do IBGE, ele estima que aproximadamente 5 milhões de trabalhadores por conta própria e outros 5 milhões de trabalhadores sem carteira assinada serão elegíveis ao auxílio, de acordo com os critérios do programa (renda por pessoa de até R$ 522,50, ou renda familiar total até R$ 3.135). Isso sem contar desempregados e pessoas que, mesmo sem direito, vão engrossar a fila de pedidos. "Serão mais de 15 milhões, é uma operação complexa. E o governo já não está conseguindo operar outros cadastros, tem fila no INSS", diz.


Segundo Neri, outro desafio é a educação financeira. Por um lado, muitas famílias mais humildes podem não estar habituadas aos canais digitais de pagamento e transações financeiras - que serão necessários diante da impossibilidade de sacar os recursos num primeiro momento. Em outra frente, será preciso educar a população sobre a necessidade de planejamento financeiro, avalia o economista. "São três meses de benefício, mas a duração da crise é incerta. O risco é as pessoas se adaptarem aos R$ 600 mensais e, quando voltarem ao valor anterior, sofrerem", afirma o economista da FGV.


O sociólogo Luis Henrique Paiva, ex-secretário Nacional de Renda de Cidadania e hoje pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), avalia como positivo o uso de plataformas digitais para o cadastro e pagamento do auxílio. "Muitas pessoas podem se inscrever e receber o auxílio sem sair de casa. Mas existe um público informal com baixa escolaridade e pouca ou nenhuma familiaridade com plataformas digitais para o qual alguma alternativa presencial será necessária. Essa alternativa terá que ser pensada de forma organizada, para evitar aglomerações", alerta.

Prorrogação do IPVA vai aliviar efeitos da Covid-19 para trabalhadores, defende Antonio Coelho

Em indicação apresentada à Assembleia Legislativa, o deputado estadual Antonio Coelho (DEM) defende que o governo estadual prorrogue, pelo prazo de 90 dias, o vencimento da parcela do IPVA prevista para abril. O democrata ressalta que a medida vai contribuir para amenizar os efeitos econômicos da pandemia do Covid-19, particularmente para aqueles que usam os veículos como ferramenta de trabalho. 


O parlamentar pontua a necessidade de o Estado prover proteção social a esses trabalhadores, que tiveram a renda afetada de maneira significativa diante das medidas necessárias de isolamento social tomadas pela gestão estadual a fim de conter a propagação do coronavírus. Entre elas, constam a proibição dos serviços de moto-taxistas, a diminuição do fluxo de passageiros dos motoristas de aplicativos, de taxistas e de motoristas de transporte alternativo de passageiros. 


“A restrição à circulação de pessoas impacta significativamente a renda desses profissionais. Por isso, faz-se necessária a intervenção do Estado. E a prorrogação do IPVA dos proprietários de veículos automotores, utilizados em atividade laborais, representará um grande esforço do Estado para atenuar o impacto econômico da COVID-19 sobre essa categoria, que se encontra desamparada frente à queda da sua renda”, destaca Antonio Coelho.

Projeto de André Ferreira que reduz conta de luz vai a votação nesta quarta

Líder do PSC na Câmara Federal, o deputado André Ferreira (PE) deu entrada em um projeto que simplifica o acesso ao programa de Tarifa Social da Conta de Energia. Pela proposta, famílias carentes incluídas nos programas de distribuição de renda passarão, automaticamente, a ter direito a este benefício, sem burocracia e sem a necessidade de fazer a solicitação, como é feito atualmente e que dificulta o desconto de 65% nas suas contas de luz. O projeto entrou em regime de urgência e está na pauta da Câmara desta quarta-feira (8).


Na avaliação do parlamentar, esse auxílio faz muita diferença na vida das famílias de baixa renda. Por isso, ressalta, é extremamente importante que ele chegue aos lares de todos os brasileiros de baixa renda, principalmente em momentos de crise, como a que o Brasil está passando com a pandemia de coronavírus. O deputado dá como exemplo uma conta de luz de R$ 100. Quando é aplicado o desconto do benefício, ela fica em R$ 35.


“É inaceitável que um benefício importante como esse não chegue a todas as famílias que têm direito por causa da burocracia. Por isso estamos trabalhando para aprovar a proposta ainda nesta quarta na Câmara”, afirmou o líder do PSC.


Uma proposta da Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, primeira e única cidade do Brasil a fazer com que esse desconto chegue a todos os beneficiados, serviu de espelho para o projeto de André Ferreira. Levantamento feito no município apontou que 117.336 famílias têm direito ao benefício na cidade. No entanto, apenas 34.815, ou seja, 30%, usufruíam do direito. Do total, 82.521 (70%) não solicitaram o benefício.


Diante desse quadro, a Prefeitura de Jaboatão decidiu tornar automático o acesso ao desconto nas contas de energia e já enviou à Celpe a relação de 10.111 famílias que possuía conta-contrato em seus nomes. Elas serão beneficiadas já em maio. E as outras 72.410 famílias que possuem contas em nome de terceiros serão beneficiadas a partir de junho.


“Em Jaboatão, o prefeito Anderson Ferreira dá exemplo de gestão moderna, conectada com as reais necessidades da população. Por isso quero levar para o Brasil essa proposta de acesso automático à tarifa social da conta luz. Uma ação simples, sem burocracia, que pode transformar o dia a dia das famílias”, avaliou André Ferreira.

Caruaru: Fernando Rodolfo confirma apoio a Raquel

Blog do Wagner Gil


No programa Jornal Vanguarda, que vai ao ar pela Caruaru FM (104.9), o deputado federal Fernando Rodolfo (PL) confirmou que vai apoiar a reeleição da prefeita Raquel Lyra (PSDB) em Caruaru. “Existe um alinhamento dos dois partidos em nível nacional e na estadual. Estamos juntos na oposição a Paulo Câmara, que virou as costas para Caruaru”, disse, em entrevista ao jornalista Wagner Gil.


“Tive quase 30 mil votos em Caruaru e a grande maioria deles na população mais carente e que está na periferia. Disse a Raquel que levaria meu apoio a ela, mas como representante da periferia, das pessoas mais pobres e que mais precisam de ações do poder público”, argumentou.


O deputado falou ainda que, apesar do fim das coligações nas eleições proporcionais, ele montou uma chapa forte e com bons candidatos. “Estou esperançoso. Nós conseguimos reunir grandes quadros e lideranças para disputar eleição de vereador em Caruaru. Nossa expectativa é de fazer entre dois e três desses”, afirmou.