Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe entrega duas ambulâncias do Samu, fardamento e equipamentos eletrônicos aos Agentes de Saúde

Na manhã desta quarta-feira (04), a Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe, através da Secretaria de Saúde, entregou duas ambulâncias do Samu, fardamentos e equipamentos eletrônicos aos agentes de saúde. A solenidade aconteceu às 10h no Teatro Municipal Emídio Eduardo Bernardino Martins.


Estavam presentes o prefeito Edson Vieira, o vice-prefeito Dida de Nan, o secretário de Saúde Dr. Nanau e os vereadores Klemerson Pipoca, Zé Minhoca, Irmão Val, Jéssyca Cavalcanti, Nailson Ramos e Zezin Buxin, além dos coordenadores dos programas de saúde.


Foram entregues aos 156 agentes comunitários de saúde (ACS) e 45 agentes de combate a endemias (ACE), um kit contendo sacola, fardamento, protetor solar e boné, além de celulares e tablets. Os equipamentos eletrônicos servirão para a informatização, facilitando o acompanhamento das ações executadas nas unidades de saúde e nas residências.


O destaque ficou para a entrega de duas ambulâncias 0km, direcionadas ao Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Os veículos são do modelo Sprinter, sendo uma unidade básica e outra com equipamentos avançados de caráter UTI (Unidade de Terapia Intensiva).


“Estamos no último ano de gestão e nosso trabalho segue em frente com o mesmo desempenho. Assumimos a Prefeitura em 2013 e tivemos grandes desafios para solucionar, nossa cidade estava com o hospital fechado no cadeado, não tínhamos nenhuma ambulância do município e, tudo dando certo, encerraremos 2020 com mais de 15 ambulâncias adquiridas em nossa gestão”, afirmou o prefeito Edson Vieira.


O vice-prefeito Dida de Nan, registrou sua satisfação em fazer parte de uma gestão que revolucionou várias áreas essenciais da sociedade. “Primeiro agradeço a todos que fazem seu trabalho na área da saúde, nosso muito obrigado, e me sinto feliz quando vejo que nossa gestão mudou a cara, não só dessa área, mas de vários segmentos que tem por finalidade beneficiar o povo”, disse.


“Hoje foi um dia muito especial pra mim desde que assumi este cargo, é uma promessa cumprida que se realiza, principalmente com os materiais de trabalhos aos agentes de saúde. Nosso intuito é da qualidade e melhorar cada vez mais as condições para que o trabalho seja executado de forma satisfatória”, disse o secretário de Saúde, Dr. Nanau.


Em breve, a cidade deverá receber mais quatro novas ambulâncias, sendo três destinadas pelo ex-deputado federal e ex-ministro das Cidades, Bruno Araújo, e uma em parceria com a Câmara de Vereadores. As ambulâncias que estavam em uso ficarão na reserva para eventuais emergências.

"Nós do campo da esquerda, apresentamos uma proposta para o Brasil", afirma Humberto Costa sobre Reforma Tributária

O senador pernambucano, Humberto Costa (PT), em participação ao programa Cidade em Foco, da Rede Agreste de Rádios, destacou a proposta de Reforma Tributária, em tramitação no Congresso Nacional, como uma pauta primordial a ser discutida em Brasília neste ano. 


Para o senador, por ser um ano eleitoral, é possível que algumas discussões importantes para o país sofram um certo atraso. "Nós estamos em um ano eleitoral e um ano eleitoral por si só faz com que o Congresso caminhe um ‘pouquinho’ mais devagar. Então é provável que muita coisa seja aprovada e é provável também que muita coisa não tenha a sua tramitação concluída", avaliou. 


Entretanto, a Reforma Tributária, de acordo com o senador, terá a atenção especial do campo da esquerda que atua no Congresso Nacional. "Entre os pontos que nós consideramos relevantes, um deles é esse, o da Reforma Tributária. Nós do campo da esquerda, apresentamos uma proposta para o Brasil, uma proposta que procura principalmente fazer justiça tributária, fazer com que pague mais imposto no Brasil quem ganha mais, e desonerar a classe média e o povo pobre, o povo trabalhador brasileiro", destacou o senador.


Se ligue – O programa “Cidade em Foco” vai ao ar de segunda a sexta-feira: 11:00 hs, na Rede Agreste de Rádios, composta pelas Emissoras: Rádio Filadélfia FM (104,9), Farol FM (90,5), Rádio Cambucá FM (104.9), Rádio Vale FM (91.7), Redentor FM (104,9), Orobó FM (105.9), Potyra FM (87,9) e pela Internet: www.filadelfiafm.net ou através do www.blogdoalberesxavier.com 

Após acordo com o governo, o Congresso Nacional manteve vetos de Bolsonaro

Após acordo com o governo, o Congresso Nacional manteve, nesta quarta (4), os vetos de Jair Bolsonaro ao Orçamento impositivo, que devolve ao Executivo o controle de R$ 30,8 bilhões.


Na Câmara, 398 deputados votaram pela manutenção do veto a trechos da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) que criavam regras para pagamento de emendas impositivas.


Dois deputados tentaram manter com o Congresso o controle sobre os recursos.


Com isso, o Senado não precisou votar. Para derrubar um veto, é necessário que a maioria dos parlamentares das duas Casas votem pela derrubada.


Os parlamentares derrubaram vetos de Bolsonaro a trechos que impediam o bloqueio de verbas para o IBGE e para a Embrapa. Com isso, o governo fica proibido de mexer nessas verbas.


Bolsonaro brecou um dispositivo que dava ao relator do Orçamento de 2020, Domingos Neto (PSD-CE), a palavra final sobre o destino de R$ 30, 1 bilhões.


O veto do presidente foi mantido após uma guerra pelo controle desses recursos e de um acordo construído com o Planalto que dividiu praticamente ao meio a gestão do montante.


Para cumprir o trato e garantir a manutenção do veto, o Planalto mandou ao Congresso, na terça (3), três projetos que regulamentam o Orçamento impositivo e dão aos parlamentares a palavra final sobre R$ 19,7 bilhões, segundo o Ministério da Economia.


O governo ficará também com o controle de R$ 11,1 bilhões, por esse cálculo.


Contudo, técnicos da Câmara afirmaram à reportagem que as contas do governo estão superestimadas e que o Congresso ficaria com uma fatia menor de cerca de R$ 15 bilhões.


Na conta do Legislativo, o governo, então, teria R$ 15,8 bilhões.


A divergência deve ser discutida durante a votação dos projetos da Comissão Mista de Orçamento na semana que vem.


Os textos foram encaminhados ao colegiado e devem voltar à pauta do Congresso na semana que vem.


A votação do veto ocorreu após Bolsonaro ceder e aceitar dividir com o Parlamento o controle do bolo de recursos -nas redes sociais, contudo, o presidente negou ter negociado com o Legislativo.


A manobra foi vista como uma forma de o governo evitar retaliações futuras em propostas do interesse do Executivo, como as reformas tributária e administrativa.

Apesar do entendimento firmado entre a cúpula do Congresso e o governo para a aprovação do veto, uma ala de parlamentares expressou descontentamento com os textos enviados por Bolsonaro e indicou que iria obstruir a votação dos projetos.


A incerteza levou líderes dos partidos do chamado Centrão da Câmara -formado por DEM, PP, PL, Republicanos, Solidariedade e MDB- a ameaçarem obstruir e impedir a análise dos vetos.


Os parlamentares receavam manter a decisão de Bolsonaro, mas não conseguir aprovar os projetos do Executivo na semana que vem por causa da resistência do Senado.


Ao longo do dia, líderes conversaram com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que garantiu a eles ter os votos necessários para aprovar os textos na Casa.


Ele teria conseguido os apoios mínimos com o compromisso dos líderes do MDB e do PSD de que 100% das bancadas, que juntas somam 24 senadores, votarão a favor dos projetos.


A palavra final foi dada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) que avalizou a promessa de Alcolumbre.


Apesar disso, a votação das propostas do governo na semana que vem deverá ser tumultuada.


Além de boa parte dos senadores ser contra a aprovação dos textos que dão ao Congresso o controle de parte dos recursos do Orçamento, deputados da base de Bolsonaro também se opõem à votação.


“É ruim para o governo ceder. Com o veto mantido, o relator perde os superpoderes criados dentro da CMO. Por isso, sou contra os PLNs, que devolvem poder a ele”, diz o deputado Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP).


Assim que o Congresso decidiu manter o veto do presidente ao Orçamento, o Novo anunciou que iria ficar em obstrução para não votar as modificações.


O “Muda, Senado”, grupo de senadores independentes que se pôs contra o direito de o Congresso indicar a fatia do Orçamento também deve tentar obstruir a discussão dos projetos.


Nas redes, parte da base de Bolsonaro passou a pressionar para que os parlamentares votem contra os projetos de lei do governo.


O Vem Pra Rua, que convoca a população para as manifestações do dia 15, passou a mobilizar sua rede contra os textos.


“Para constar CONTRA os PLNs 2, 3 e 4 o parlamentar precisa declarar publicamente nas suas redes sociais sua posição pela NÃO APROVAÇÃO destes projetos de lei do Congresso Nacional apresentados pela presidência da república”, diz um dos textos divulgados pelo movimento.


Desde que o acordo foi divulgado na terça, o presidente passou a ser criticado por apoiadores, que passaram a disparar mensagens contra o acerto.


Uma das imagens que circulou trazia a frase “Inacreditável -Bolsonaro dá uma banana para os movimentos de rua e faz acordo com o Congresso”.


Numa postagem em que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), anunciou o acordo, apoiadores do presidente também repudiaram a negociação.

Em resposta à pressão de parte de sua base, Bolsonaro negou ter feito qualquer negociação com o Congresso. “A proposta orçamentária original do governo foi 100% mantida”, escreveu em uma rede social.


Os textos dão ao governo autonomia para contingenciar o valor nas mãos do Parlamento, conforme a necessidade fiscal. Na prática, porém, o Executivo pode controlar o ritmo de liberação dos recursos, mas não alterar sua destinação, como transferir para outros ministérios.


Esse ponto é uma das principais mudanças em relação ao trato que havia sido construído com o Congresso antes do Carnaval e que foi duramente criticado por auxiliares de Bolsonaro.


Pelo novo trato fechado, segundo cálculo de técnicos legislativos, dos R$ 15 bilhões que ficarão nas mãos do Congresso, a Câmara controlaria R$ 10 bilhões e o Senado ficaria com os R$ 5 bilhões restantes.


Folhapress

“Terei orgulho de dizer que Jataúba terá a primeira mulher prefeita desse município”, relatou Graça Ribeiro

A presidente municipal do Republicanos em Jataúba, Graça Ribeiro, falou com exclusividade ao programa Cidade em Foco da Rede Agreste de Rádios, e comentou sobre os desafios que o partido tem na cidade e as parcerias políticas com Sílvio Costa Filho (PRB) e Alessandra Vieira (PSDB).


“Foi gratificante quando me convidaram a ser presidente do partido na cidade, pois eu não tinha uma atuação política ativa, e depois que assumi tenho me doado para o crescimento do mesmo. Temos trabalhado as nossas pré-candidaturas e terei orgulho de dizer que Jataúba terá a primeira mulher prefeita desse município”, citou.


Graça Ribeiro ainda lamentou o descrédito da população ao atual gestor do município e afirmou que Boy contribuiu com a cidade achando que ela estava em boas mãos. “Boy saiu jovem daqui e há 20 anos contribuía com a cidade, achando que ela estava nos trilhos, e ele veio para da o grito de liberdade e transformar Jataúba no local onde ele irá viver até o fim da vida”, disse.


Sobre as parcerias políticas com a deputada estadual Alessandra Vieira e o deputado federal Sílvio Costa Filho, Graça Ribeiro ressaltou que está satisfeita e que os deputados darão orgulho. “Alessandra e Sílvio Costa Filho mostraram nas urnas, em 2018, a força do grupo da terceira via, onde nossos adversários foram surpreendidos com a votação obtida. Jataúba tem dois parceiros que estamos satisfeitos e teremos orgulho dos votos depositados”, encerrou.


Se ligue – O programa “Cidade em Foco” vai ao ar de segunda a sexta-feira: 11:00 hs, na Rede Agreste de Rádios, composta pelas Emissoras: Rádio Filadélfia FM (104,9), Farol FM (90,5), Rádio Cambucá FM (104.9), Rádio Vale FM (91.7), Redentor FM (104,9), Orobó FM (105.9), Potyra FM (87,9) e pela Internet: www.filadelfiafm.net ou através do www.blogdoalberesxavier.com 

Paulo Câmara autoriza início das obras do Programa de Integração do Rio São Francisco

O governador Paulo Câmara assina, nesta quinta-feira (05), em Salgueiro, no Sertão Central, a ordem de serviço para o início da construção dos sistemas de abastecimento de água do Programa de Integração do Rio São Francisco (PISF). Com um investimento total de mais de R$ 45 milhões, provenientes de convênios com a União, o programa contempla obras complementares à transposição do Rio São Francisco, que vão beneficiar 12 mil habitantes de comunidades próximas às margens dos ramais Norte e Leste. A previsão é que os sistemas sejam concluídos em até 24 meses.

Ronaldinho Gaúcho é detido no Paraguai

Poder 360


O ex-jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho foi detido na noite de ontem no Paraguai, juntamente com seu irmão mais velho, o empresário Roberto de Assis Moreira. O motivo das detenções teria sido o uso de passaportes supostamente adulterados encontrados na suíte do ex-jogador no Hotel del Yacht y Golf Club Paraguayo, na cidade de Lambaré.


As informações são do jornal local ABC Color. O Procurador de Assuntos Internacionais, Manuel Doldan, foi destacado para participar da equipe que investiga o caso.


A detenção foi acompanhada pela juíza Gladys Fariña. O gabinete do procurador-geral do Estado marcou uma conferência de imprensa para as 8h da manhã (horário local) desta quinta-feira (5) para comentar o episódio.


Ronaldinho desembarcou no país nesta 4ª feira e, na 5ª, apresentaria o programa beneficente “Saúde Móvel dos Meninos e Meninas”. De acordo com o jornal Hoy, o projeto consiste em 1 centro hospitalar móvel com tecnologia de ponta.


O craque também apresentaria seu livro, “Gênio da Vida”.

De Recife à Santa Cruz do Capibaribe– João Campos e Eduardo da Fonte fecham acordo e Fernando Aragão é escolhido como pré-candidato a prefeito

Em encontro na noite desta quarta-feira (04) em Brasília, os deputados federais João Campos (PSB) e Eduardo da Fonte (PP) traçaram alianças para às eleições de 2020, na Capital pernambucana e na cidade de Santa Cruz do Capibaribe.


As informações dão conta que o deputado socialista já declarou que o pré-candidato a prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, apoiado pelo governador Paulo Câmara e a frente popular será Fernando Aragão (PP).


O acordo foi possível após o deputado federal Eduardo da Fonte se comprometer em apoiar a pré-candidatura de João Campos à prefeitura do Recife, e em troca o Partido Progressistas seria retribuído com o apoio a Fernando Aragão como pré-candidato a prefeito em Santa Cruz do Capibaribe.


Fontes informaram que o Presidente Estadual do partido, Sileno Guedes, o governador Paulo Câmara, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, e toda cúpula do PSB já foram comunicados dessa decisão.


Com essa confirmação, Fernando Aragão ganha uma dura quebra de braço que deixa o deputado estadual Diogo Moraes, o ex-deputado federal José Augusto Maia, e os vereadores do grupo, principalmente Helinho Aragão que alimentou a chance de ser o pré-candidato do PSB na cidade, em uma verdadeira saia justa.


O anúncio do apoio do governador Paulo Câmara e do PSB deverá acontecer nos próximos dias, em evento que será realizado em Santa Cruz do Capibaribe com a presença de todos. O local ainda será definido nós próximos dias.

Na CNM, Silvio Costa Filho debate agenda municipalista para 2020

O deputado federal Silvio Costa Filho (Republicanos), presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Novo Pacto Federativo, participou, nesta quarta-feira (04), de uma reunião na Confederação Nacional de Municípios (CNM), em Brasília, ao lado de senadores, deputados, prefeitos e representantes de entidades municipalistas. O objetivo do encontro foi debater a pauta legislativa dos municípios em 2020, a exemplo da PEC do Novo pacto Federativo, em tramitação no Senado Federal, a PEC Paralela da Reforma da Previdência, a PEC do 1% do FPM e o Fundeb, além da melhor remuneração dos professores e servidores, despesa de pessoal e organizações sociais.


Silvio destaca a importância da aprovação do novo pacto federativo ainda neste primeiro semestre. “É importante colher sugestões e propostas para que seja incluída na PEC que trata do Pacto Federativo, e que está sendo relatada pelo senador Márcio Bittar. Estamos confiantes que o Senado vai aprovar a proposta até o fim de abril. O tema é muito rico e não tenho dúvida que é uma agenda que une a todos nós. Teremos uma bela oportunidade de avançar nessa discussão, avançando na agenda quando ela chegar na Câmara dos Deputados”, pontuou.


A expectativa é que uma reunião seja realizada com integrantes da Frente Parlamentar do Novo Pacto Federativo para discutir o cronograma de trabalho do Novo Pacto Federativo na Câmara dos Deputados. “Chegando na Câmara, vamos ter a Comissão Especial e é importante que os deputados que já acompanham as discussões, ao lado da CNM, possam participar do diálogo e dar a sua contribuição”, concluiu o parlamentar.

Para líder, alta do PIB foi grande resultado diante dos impactos de Brumadinho e da derrocada argentina

A alta de 1,1% do PIB em 2019 é um grande resultado para o país após os impactos do desastre de Brumadinho e da derrocada da economia da Argentina, afirmou nesta quarta-feira (4) o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). Segundo ele, sem essas adversidades, a economia brasileira teria crescido acima 1,5% no ano passado. 


“Os que falam de pibinho de 1,1%, trata-se de um grande resultado em meio à derrocada da Argentina e ao acidente grave de Brumadinho, que ceifou receitas de exportação de minério de ferro do Brasil”, disse o líder. “Se não tivessem acontecido essas adversidades, que não estavam na mão do governo, o PIB certamente teria ultrapassado 1,5%. E neste ano temos todas as condições, se prosseguirmos com essa agenda, de ver o PIB acima de 2%.”


A declaração foi feita durante a votação da PEC dos Fundos pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Para ele, a aprovação da emenda é um grande passo para enfrentar o grave desequilíbrio das contas públicas. “O que está em discussão é a transferência de recursos para determinadas áreas por meio de fundos cuja eficácia de utilização não chega, na média, a 50%. Estamos retirando do Orçamento o dinheiro que está faltando para saúde, educação e segurança pública e canalizando para fundos onde os recursos se esterilizam”, explicou. 


“O Brasil só vai conseguir consolidar o seu crescimento se o Congresso Nacional tiver a coragem para tomar medidas duras e amargas, que possam reequilibrar as contas públicas”, acrescentou Fernando Bezerra Coelho.

Arteaga, ex-presidenta do Equador virá ao Recife para evento da Amupe

Na política equatoriana foi a primeira mulher a presidir o país, no ano de 1997. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas através do site cumbre.cnm.org.br


A XIII Cúpula de Prefeitos e Governos Locais Latino Americanos, que vai ser realizada no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, entre os dias 17 e 20 de março, terá a jornalista, doutora em jurisprudência, ex-ministra da educação, ex-vice-presidente e ex-presidente do Equador, Rosalía Arteaga, como destaque do terceiro dia de evento. No dia 19, a também ativista social vai ministrar a palestra magna sobre Os Desafios e as Potencialidades da Liderança Feminina na América Latina, a partir das 09h30. 


Atualmente, Rosalía Arteaga é presidente executiva da Fundação FIDAL, uma entidade que tem a missão de fortalecer a educação e consolidar a democracia e governança com um enfoque de consciência ecológica e desenvolvimento sustentável do Equador e da América Latina. A Palestra da ex-presidenta vai gerar dois painéis de discussões: Mulher como Construtora da Política e Mulheres em Espaços de Poder e Decisão, a Busca por Representatividade. 


O Painel Mulher como Construtora da Política terá cinco representantes femininas na mesa de discussão. A fundadora do Movimento Mulheres Municipalistas (MMM), Tânia Ziulkoski; a secretária executiva da União de Governos Locais da Costa Rica, Karen Porras; a prefeita de São Bento do Una e secretária da Mulher Amupe, Débora Almeida; a ex-prefeita do município de Policarpa Nariño, Claudia Cabrera; e a Associada de Programa da ONU Mulheres, Juliana Maia. 


A mesa 2 vai discutir mulheres em espaços de poder e decisão, a busca por representatividade. Estão confirmadas a representante da Universidade de Assuntos Internacionais da Flórida, Cristina Rodrigues-Acosta; a secretária da mulher de Pernambuco, Silvia Cordeiro; a diretora nacional do Mujeres Sin Límite do Equador, Anita Fernandez; a presidenta da Associação de Prefeitas da Bolívia (Acobol), Isabel Guzmán; e a gerente de projetos da ONU Mulheres, Ana Claudia Pereira.


Ainda no dia 19, serão realizadas mais de 30 oficinas temáticas sobre inovação, desenvolvimento e desigualdade social. Além de programação na Arena da Inovação, um espaço onde será mostrada ações exitosas de gestão. A programação completa e o painel de inscrições estão disponiveis nos sites www.cupula.cnm.orb.br ou www.amupe.org. A XIII Cúpula Hemisférica de Prefeitos e Governos Locais Latino Americanos vai acontecer no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, entre os dias 17 e 20 de março.